Maria Ivone Vairinho e Poetas Amigos

Abril 22 2011

Imagem tirada da net

Gaivotas do meu País

 

Gaivotas do meu País

nas asas levam beleza,

dos símbolos da raiz

na Bandeira Portuguesa.

 

No bico têm a vitória

dum Abril que despertou

e nas penas a memória

do tempo que já passou…

 

Da ditadura, a cor,

ficou-lhes nas penas negras,

nas brancas têm o vigor

de superar as tristezas.

 

Mas vivemos como as aves,

as dúbias penas cinzentas;

Abril, foi um golpe d’asa,

neste Cabo das Tormentas…

 

18/03/07

Mavilde Lobo Costa

(In Raízes D'ouro)

 

 

 

publicado por carmemzita às 00:25
editado por appoetas às 02:02

Março 18 2011

A poesia

 

A poesia, passeia pela rua vestida de pensamento

Desbrava a intimidade do ser

e pousa conscientemente nos caminhos da solidão

 

Canta e ri das tropelias da vida

mostra-se em cada gesto,

em cada jeito

e sobrevive em cada virar de esquina

 

Chega no sopro do vento

reflecte-se no muro alto e cego

edificado nas razões agrestes

 

É um gerador de vontades e compromissos

residente em todos

e em tudo o que nos rodeia

 

Dependente apenas

do olhar que nasce

na alma do poeta

 

12/08/09

Mavilde Lobo Costa

 

 

publicado por carmemzita às 19:37
editado por appoetas em 23/03/2011 às 12:48

Março 01 2011

Cheires

 

Há uma terra no mapa com raízes avoengas

Possui da nobreza a nata com viscondessas e lendas

 

Foi origem de famílias vetustas , com seus brasões

Casas de reis e fidalgos com armas; condes, barões

 

Deu origem aos Teixeiras que vivem em Portugal,

Em Celeirós, S.Romão, Sanfins e Vila-Real,

 

Sabrosa e Alijó, Favaios e Presandães

Tudo começou em Cheires, com Don Teo ou sua mãe

 

Aos Açores e Cabo-Verde estenderam os seus ramos

De Ormuz até Angola raízes de transmontanos

 

Em Moçambique e Brasil, impôs-se o nome Teixeira.

Sementes do nosso nome percorrem a Terra inteira.

 

Mavilde Teixeira Lobo

08/02/2011

 

 

 

publicado por carmemzita às 23:24
editado por appoetas em 02/03/2011 às 01:27

Fevereiro 09 2011

imagem tirada da net

 

Que saudades

 

Que saudades eu tinha do Cais das Colunas.

Ver o Tejo a passar entre as margens ligado,

o Terreiro do Paço; o Martinho d’Arcada

e o Fernando Pessoa com poemas no olhar

 

Que saudades eu tinha da cor amarela

a imperar altivez no Terreiro do Paço.

Do espelho das águas, onde D. José

cavalga incessante presenças e mágoas

 

Já larguei meu barco, soltei-lhe as amarras

aos tapumes preso e muros de paisagem,

Lisboa navega e brinca no cais,

saudando no Tejo a constante viagem

 

Passadeira vermelha ao povo estendi,

salão de visitas tão cheio de sol

e vejo passar todos por aqui;

nobres do trabalho, no Paço Real.

 

30/10/2010

Mavilde Lobo Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por carmemzita às 22:08
editado por appoetas em 14/02/2011 às 16:22

Janeiro 12 2011

 

imagem tirada da net

 

Despedida

 

Já larguei a bata branca

e as histórias que contém,

do peso que tive aos ombros

alguns bolsos rebentei

 

Na cor limpei problemas

filtrei doentes; famílias.

Hoje fica a descansar,

cruza os braços duma vida.

 

Estendeu a mão e ouviu,

quem à sua cor chegou.

Foi bússola, farol e rio

no cursos que orientou

 

Tantas histórias de vida,

tantos livros para ler!

por vezes foi pomba ferida

na inconstância do poder

 

Mas hoje no fim da estrada,

parada vai descansar

finalmente a pomba branca

fica livre e vai voar…

 

27/09/2010

Mavilde Lobo Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por carmemzita às 15:05
editado por appoetas em 25/01/2011 às 15:50

Janeiro 03 2011

Na casa que é Portugal, altaneira em voz de fado
vimos cantar as Janeiras num País  atrapalhado
Que os Reis  Magos nos valham e a água dos camelos
Pois a crise aperta tanto, que aos chouriços, nem vê-los!

 

Que família generosa neste palácio encantado!
Passa-nos a mão no bolso, à reforma e ordenado
Se não nos pomos a pau, com um porrete na mão,
Os senhores da casa alta, não dão chouriço nem pão.

 

E os pastores que se cuidem, a caminho de Bebém
que levem roupa ao Menino, que inda nem roupa tem
Pois com tanto candidato a fingir-se presidente:
Dão 2000 anos de tanga  dum governo mendicante

 

Mavilde Lobo Costa

publicado por carmemzita às 19:48
editado por appoetas em 25/01/2011 às 15:51

Dezembro 05 2010

imagem tirada da net

 

Natal de Setembro

 

Já nasceu o meu menino!

Meu presépio meu natal!

Fez-me avó, tocou-me o sino da herança genial.

Este natal de Setembro, de génese preservada

Levou-me ao infinito, esta esperança renovada

 

Tenho o natal no meu seio

No berço de minha filha

Meu tesouro, meu enleio

Menino d’ouro que anseio

Ser milagre, maravilha!

 

 

 

23/09/2010

08/08/2010

Mavilde Lobo Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por carmemzita às 19:52
editado por appoetas em 22/04/2011 às 02:06

Agosto 12 2010

 

 

Ver imagem em tamanho realimagem tirada da net

Turquia

 

Conheci berços do mundo, Géneses da Humanidade

onde os deuses se aquietaram em únicas divindades

 

Terras mais férteis que o mel, histórias em arte contadas,

cidades Santas de Judeus, Árabes e Cristãos misturados

 

Vi Éfeso de S. Paulo, a Tróia da bela Helena

Lendas de cavalos de pau desfeitas no Mar Egeu

 

Ancara a capital, que Ataturk adorou,

 mais que santo ou outro deus, que a ferro e fogo imperou

 

Vi seitas rodopiantes, lenços de seda vaidosos,

fingida modéstia ao léu, paisagens belas, formosas!

 

Com Istambul a meu pés, estarrecida beleza,

onde inclino a cabeça ao Ser supremo que a fez

Lugares de culto ao Artista que o Homem Espírito elegeu

templos, palácios mesquitas; ouro, sal, peles e fitas

de seda, rubi e turquesa onde o povo padeceu

 

Vi pão, arroz e azeite, papoilas de ópio sem fim

Tapetes de Alibabá em culturas de jardim

 

E a bela Capadócia que o vento modelou

Deixou-nos suspiros doces que o vulcão regurgitou

 

Vi castelos de algodão em puras águas termais

desde o tempo dos Romanos em piscinas naturais

 

A Turquia é poderosa, intemporal, invejada

“Olho gordo dos vizinhos”, cruzamento de caminhos,

por terra e por mar faz estrada

princípio e fim da Europa…fim e princípio da Ásia…

 

04/07/2010

Mavilde Lobo Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por carmemzita às 17:00
editado por appoetas em 11/10/2010 às 15:26

Junho 16 2010

Ver imagem em tamanho real

imagem tirada da net

 

 

 

 

A mulher do lago

 

A mulher do lago com ar misterioso
veste de lilás em cachos de jacarandá
e vai em passos verdes de relva no jardim
debruçar os olhos no lago encantado;
onde os peixes nascem, as tartarugas crescem,
e dos ovos da ninhada de patos - reais
filhotes floriram de vida e magia

 

e a mulher do lago lá vai
mergulhar o olhar todos os dias…

 

Vai buscar encanto ao fundo do lago
em troca de  alimento para a vida criada

 

para que não morra o lago de encanto
no impedimento de fazer a jornada.

 

16/06/2010
Mavilde Lobo Costa

 

 

publicado por carmemzita às 17:18
editado por appoetas em 18/06/2010 às 02:22

Maio 05 2010

 

Ver imagem em tamanho real

 

 

 

 

 

 

 

imagem tirada da net

Carlota (a tartaruga)

 

Selvagem domesticada de rumos que desconheço
Muito quieta, irritada
porque andava maltratada,
dei-lhe abrigo e muito apreço.

 

Festinhas na carapaça, ternura por empatia
carne e tudo do melhor, toda a casa ao seu dispor
em passeios de alegria.

 

Tartaruga que aos poucos consegui pegar na mão,
fazer festas na cabeça, olhar nos olhos o verde
e estudar a opinião.

 

Foram dois anos de zelo, amizade e solidão.
Mas a Carlota na fala mostrou-me um outro caminho
que o solidário cobiça:
Pesquisei na Internet.
Encontrei lhe um paraíso todo cheio de amizade
peixes e patos com sorrisos, companheiros de verdade.

 

Assim num lago bem perto onde a alimento e visito
devolvi-lhe a liberdade

 

Vigiando, mas é certo que vive em felicidade…

 

21/04/2010
Mavilde Lobo Costa

 


 

publicado por carmemzita às 11:39
editado por appoetas às 12:40

Este blogue está aberto aos co-autores e Poetas Amigos de Maria Ivone Vairinho
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


links
pesquisar
 
Tags

11 poemas inéditos de carlos cardoso luí(1)

25 anos app(11)

ada tavares(18)

adriano augusto da costa filho(39)

albertino galvão(11)

albina dias(18)

alfredo martins guedes(2)

ana luísa jesus(4)

ana patacho(3)

anete ferreira(3)

antónio boavida pinheiro(22)

app(5)

armindo fernandes cardoso(3)

bento tiago laneiro(5)

carlos cardoso luís(13)

carlos moreira da silva(2)

carmo vasconcelos(22)

catarina malanho semedo(2)

cecília rodrigues(48)

cláudia borges(8)

dia da mãe(8)

dia da mulher(9)

dia do pai(6)

donzília martins(8)

edite gil(68)

elisa claro vicêncio(4)

euclides cavaco(100)

feliciana maria reis(4)

fernando ramos(20)

fernando reis costa(3)

filipe papança(11)

frances de azevedo(2)

gabriel gonçalves(14)

glória marreiros(20)

graça patrão(6)

helena paz(15)

isabel gouveia(3)

jenny lopes(11)

joão baptista coelho(1)

joão coelho dos santos(7)

joao francisco da silva(4)

joaquim carvalho(3)

joaquim evónio(9)

joaquim sustelo(70)

judite da conceição higino(4)

landa machado(1)

liliana josué(45)

lina céu(5)

luis da mota filipe(7)

manuel carreira rocha(4)

margarida silva(2)

maria amélia carvalho e almeida(6)

maria clotilde moreira(3)

maria emília azevedo(5)

maria emília venda(6)

maria fatima mendonça(2)

maria francília pinheiro(3)

maria ivone vairinho(14)

maria jacinta pereira(3)

maria joão brito de sousa(69)

maria josé fraqueza(5)

maria lourdes rosa alves(4)

maria luisa afonso(4)

maria vitória afonso(8)

mário matta e silva(20)

mavilde lobo costa(22)

milu alves(6)

natal(16)

odete nazário(1)

paulo brito e abreu(6)

pinhal dias(9)

rui pais(8)

santos zoio(2)

sao tome(10)

susana custódio(15)

tito olívio(17)

vanda paz(23)

virginia branco(13)

todas as tags

blogs SAPO